domingo, 24 de maio de 2009

Ronaldo sem mudança de hábito

video

O que nós herdamos dos Africanos?

A HISTÓRIA E A CULTURA DA ÁFRICA E SUAS IMPLICAÇÕES COM A CULTURA BRASILEIRA NA ATUALIDADE

OU: O QUE A SUPOSTA IDENTIDADE CULTURAL BRASILEIRA DEVE AOS AFRICANOS, OU À ÁFRICA DE UM MODO GERAL, ENQUANTO CULTURA HISTORICAMENTE COMPROVADA?

RESUMO: A cultura de um país é formada pela cultura de cada um dos seus habitantes. É desse ponto de vista que partimos para responder a pergunta do subtítulo do nosso artigo. O que nós herdamos dos Africanos? Sabemos que é impossível mensurar a quantidade exata dessa influência, portanto tentaremos discorrer brevemente sobre três principais áreas de atuação: a linguagem, a culinária e o folclore, itens significativos da cultura de qualquer país.

Quer ler mais?
http://eudesenholetras.wordpress.com/tag/influencia-africana-na-cultura-do-brasil/

A

abará: bolinho de feijão.
acará: peixe de esqueleto ósseo.
acarajé: bolinho de feijão frito (feijão fradinho).
agogô: instrumento musical constituído por uma dupla campânula de ferro, produzindo dois sons.
angu: massa de farinha de trigo ou de mandioca ou arroz.

Mario Benedetti

video

Obrigado

sábado, 23 de maio de 2009

Mario Benedetti

Mauro, você já deve saber, mas me obrigo a repetir: Mario Benedetti, poeta uruguaio morreu no domingo. Era um dos meus favoritos. Inclusive circulou pelo mundo uma corrente de poesias postados por pessoas anonimas, por sugestão de Saramago, qdo ele ainda estava no hospital (http://weblogs.clarin.com/revistaenie-unmillondeamigos/archives/2009/04/cadema_de_poesia_por_benedetti.html ). E falo disto porque não vejo reação, comentario, informe algum sobre sua morte.
Abraços

Mario Benedetti


Vida Bandoneón: Uruguai se despede de Mario Benedetti


O cantor e compositor e amigo íntimo de Benedetti, Daniel Viglietti lembrou que "estamos todos consternados, como escrevia ele quando morreu o Che, mas sua caneta nos deixa a alma cheia de versos simples, simples na altura, como aqueles versos do cubano José Martí que ele tanto admirava". "Hoje enterramos um homem que acreditava na esperança de que as coisas, essas que todos sabemos importantes — amor, justiça, solidariedade, honestidade, rigor, entrega de vida — podem ser atingidas", diz Hugo Achugar, diretor de Cultura do governo uruguaio.


Redação - Carta Maior


Escritor uruguaio dos mais reconhecidos na América Latina, Benedetti morreu no domingo último em sua casa, aos 88 anos, após uma carreira literária de seis décadas. Benedetti tinha sido internado num hospital particular no final de abril, depois de diagnosticada uma doença intestinal crônica, e os médicos lhe deram alta no início de maio. "Aparentemente ele estava melhorando; os médicos diziam que estava se recuperando. Por isso, sua morte nos pegou de surpresa", comentou seu irmão Raúl aos canais de TV uruguaios.


A morte de Benedetti reuniu milhares de uruguaios para se despedirem ontem (20) do escritor. Os restos mortais de Benedetti foram conduzidos por trabalhadores e estudantes até o Panteão Nacional do Cemitério Central de Montevidéu, em meio a um eloqüente silêncio somente interrompido por respeitosos aplausos quando o caixão chegou ao destino. "Hoje enterramos um homem que acreditava na esperança de que as coisas, essas que todos sabemos importantes — amor, justiça, solidariedade, honestidade, rigor, entrega de vida — podem ser atingidas", disse na ocasião Hugo Achugar, diretor de Cultura do governo uruguaio.


O cantor e compositor e amigo íntimo de Benedetti, Daniel Viglietti lembrou que "estamos todos consternados, como escrevia ele quando morreu o Che, mas sua caneta nos deixa a alma cheia de versos simples, simples na altura, como aqueles versos do cubano José Martí que ele tanto admirava". Ainda no domingo, após a notícia do falecimento, familiares e amigos começaram a chegar à casa do poeta, no centro da capital uruguaia, cidade que Benedetti sempre mencionava em seus escritos.


Benedetti nasceu em 14 de setembro de 1930 no departamento de Tacuarembó, no norte do Uruguai, exilou-se durante a ditadura que desgovernou o país de 1973 a 1985, vivendo em Madri por boa parte desse período. Vários de seus poemas, escritos durante a ditadura e nos últimos anos, foram dedicados a vítimas da repressão militar, como o senador de esquerda e amigo íntimo Zelmar Michelini, seqüestrado e morto em Buenos Aires em 1976. Benedetti ficou famoso em 1956 com a publicação de "Poemas de la Oficina", sobre a rotina do trabalho.


Carta Maior publica aqui, na íntegra, um dos belos e simples poemas de Bendetti, em homenagem a ele e a todos que transformam as dores latinoamericanas em arte.


Bandoneón


me jode confesarlo

pero la vida es también un bandoneón

hay quien sostiene que lo toca dios

pero yo estoy seguro que es troilo

ya que dios apenas toca el arpa

y mal


fuere quien fuere lo cierto es

que nos estira en un solo ademán purísimo

y luego nos reduce de a poco a casi nada

y claro nos arranca confesiones

quejas que son clamores

vértebras de alegría

esperanzas que vuelven

como los hijos pródigos

y sobre todo como los estribillos


me jode confesarlo

porque lo cierto es que hoy en día

pocos

quieren ser tango

la natural tendencia

es a ser rumba o mambo o chachachá

o merengue o bolero o tal vez casino

en último caso valsecito o milonga

pasodoble jamás

pero cuando dios o pichuco o quien sea

toma entre sus manos la vida bandoneón

y le sugiere que llore o regocije

uno siente el tremendo decoro de ser tango

y se deja cantar y ni se acuerda

que allá espera

el estuche.

quinta-feira, 14 de maio de 2009

FHC sobre DD

video

O nosso Farol precisa voltar para salvar esse País, junto com o brilhaaaante Daniel Dantas e o corajoso Gilmar Mendes, sem deixar de contar com a competência do Serra.

El Pais

La oposición se rinde ante los programas sociales de Lula

JUAN ARIAS

... PSDB), fundado por el ex presidente Fernando Henrique Cardoso, que gobernó el país durante ocho años antes de llegar el huracán del fenómeno Lula, se ha rendido ante los programas sociales del actual Gobierno del ex tornero. El programa Bolsa Familia, que alcanza con su ayuda a cerca de 12 millones ... de São Paulo, José Serra, uno de los candidatos más fuertes de la oposición para sustituir a Lula el próximo año. Con miedo a oponerse frontalmente al proyecto social de la Bolsa Familia, que ha dado a Lula su gran popularidad nacional, sobre todo entre los más necesitados, el presidente nacional ... los logros sociales de Lula. ¿Cómo será, entonces? En el seminario quedó claro que, si gana el PSDB, seguirá las huellas del presidente ex sindicalista. "Lo que necesitamos es llevar a cabo las reformas que el actual Gobierno deja inacabadas", dijo Neves. O sea, que será más de Lula aunque sin Lula ...

El Pais

Última hora EL PAIS Internacional - 13-05-2009
Lula, nombrado premio de la Paz de la Unesco
EFE
El presidente de Brasil, Lula da Silva, ha sido galardonado este miércoles con el Premio de Fomento de La Paz Félix Houphouet-Boigny, según ha informado la Unesco en un comunicado. El acto solemne de entrega tendrá lugar el próximo mes de junio, agregó la organización de la ONU para la Educación, la ... el diálogo, la democracia, la justicia social y la igualdad de derechos". El jurado quiso celebrar, igualmente, la "inestimable contribución" de Lula para a la erradicación de la pobreza y la protección de los derechos de las minorías. La decisión del jurado de este galardón creado en 1989 fue ...
Última hora EL PAIS Internacional - 13-05-2009

O inconcebível Lula

FHC, o farol, sociólogo, entende de sociologia tanto quanto o governador de São Paulo pelo PSDB, José Serra, entende de economia.

*Lula, que não entende de sociologia, levou 32 milhões de miseráveis e pobres à condição de consumidores.

*Lula, que não entende de economia, pagou as contas do entreguista FHC, zerou a dívida com o FMI e ainda dá algum aos ricos...

*Lula, que não entende de educação, pois a oposição e a mídia o classificam como analfabeto e burro, criou mais escolas e universidades que seus antecessores juntos e ainda criou o PRÓ-UNI aonde filho de pobre vai à universidade...

*Lula, que não entende de finanças, nem de contas públicas elevou o salário mínimo de 64 para mais de 200 dólares e não quebrou a previdência como dizia FHC...

*Lula que não entende de psicologia, levantou o moral da nação e disse que o Brasil está melhor que o mundo... mas o PIG (Partido da Imprensa Golpista), que entende de tudo, acha que não...

*Lula que não entende de engenharia, nem de mecânica, nem de nada, Lula não entende de nada, reabilitou o Proálcool, acreditou no biodiesel e levou o país a liderança mundial de combustíveis renováveis...

*Lula que não entende de política, mudou os paradigmas mundiais e colocou o Brasil na liderança dos países emergentes, passou a ser respeitado e enterrou o G-8...

*Lula, que não entende de política externa nem de conciliação, pois foi sindicalista brucutu, mandou as favas a ALCA, olhou para os parceiros do sul e especialmente para o vizinhos da América Latina, onde exerce liderança absoluta sem ser imperialista, tem transito livre com Chaves, Fidel, Obama, Evo, etc...bobo que é cedeu a tudo e a todos...

*Lula que não entende de mulher, nem de preto, colocou o primeiro negro no supremo (desmoralizado por brancos), colocou uma mulher no cargo de primeira ministra e vai fazê-la sua sucessora.

*Lula, que não entende de etiqueta, sentou ao lado da rainha e afrontou nossa fidalguia branca de lentes azuis.

*Lula, que não entende de desenvolvimento, nunca ouviu falar de keynes, criou o PAC, antes mesmo que o mundo inteiro dissesse que é hora do Estado investir e hoje (o PAC) é um amortecedor da crise...

*Lula que não entende de crise, mandou abaixar o IPI e levou a indústria automobilística a bater recorde no trimestre...

*Lula que não entende de português nem de outra língua, tem fluência entre os líderes mundiais, é respeitado como uma das pessoas mais poderosas e influentes no mundo atual...Lula não entende nada de nada e mesmo assim é melhor que todos os outros...

* Lula, que não entende de respeito a seus pares, pois é um brucutu, já tinha uma empatia e uma relação direta com Bush, notada até pela imprensa americana. E agora já tem a empatia do Obama.

* Lula, que não entende nada de sindicato, pois era apenas um agitador, é amigo do tal John Sweeny e entra na Casa Branca com credencial de negociador lá, nos states.

*Lula, que não entende de geografia pois nunca viu um mapa, é ator da mudança geopolítica das Américas.

*Lula, que não entende nada de diplomacia internacional, pois nunca estará preparado, age com sabedoria em todas as frentes e se torna interlocutor universal.

*Lula, que não entende nada de história, pois é apenas um locutor de bravatas, faz história e será lembrado por um grande legado dentro e fora do Brasil.

*Lula que não entende nada de conflitos armados nem de guerra, pois é um pacifista ingênuo já é cotado pelos Palestinos para dialogar com Israel.Quarta-feira, 22 de abril de 2009.

Pedro R. Lima, professor

Texto publicado no blog Terra Brasilis, do professor Afonso, e postado novmen por TERROR DO NORDESTE às 19:34

Enquanto isso na Ilha Taparacha um corpo foi retirado das águas escuras (mais se parecem com petróleo) agarrado a uma fita vê aga ésse. O administrador da ilha, que todos chamam de Constantino, chamou o chefe da imprensa oficial para perguntar se não deu tempo de agarrar a tal fita enquanto o sujeito se suicidava. Todos olham incrêdulos e respondem com um leve movimeto com os ombros. Ninguém se arrisca mais por ele (só valendo muito a pena).

terça-feira, 12 de maio de 2009

A Ilha Taparacha

Sentia o frio n´alma, enquanto Amâncio Candidondino adormecia em quietação e eu, entorpecida na umidade do relento da noite, gemia contornos e silhuetas abandonadas desde sempre. Viajeiro de sonhos lúcidos ele vogara até o ano de 1874, quando todos começaram a dar um sentido na ocupação dos espaços de campo e mato de mim, uma ilha faladeira metida a pique. Fui nomeada Taparacha, pelos corvos e aduladores, heróis e gado, todos medrando sob o olhar do cururu. Sapo grande, com pele enrugada, dissuasor, predador dos que se vêem pequenos e frágeis. Fingidor de sonhos. Sorriso fácil e confiado. Naqueles tempos de jovem senhora, arreganhada e prazenteira, fui descuidada para os sentidos da ocupação. Permaneço grávida desde a primeira tropeada dos capitães e contrabandistas de gado e éguas.

As cortaduras em cruz do asfalto fatiam minhas terras, fazendo-me um chão de passagem, sem outro proveito que me deixar cruzar. Não faço mais caso. Deixo-me usar. Mormacenta, unindo as duas partes de uma mesma crosta continentina, por sujeição ao capricho de formação da natureza e interesses civilizatórios. Sensata, entediada e pesada, continuo minha sina e cubro a fenda. Sou a ilha Taparacha. Há quem aponte que separo os dois lados de uma mesma massa de terra. Essa racha preenchida, em parte por mim, ilha da escolha de muitos para morarem, é, também, recheada de águas subidas das profundezas ingênuas. Na superfície sem vida, dos dias de hoje, em cor barrenta, essas águas denunciam uma agonia, Vimos sendo transformadas em esgoto do continente e dos moradores dessa ilha. As sereias e vivos submersos deixaram as águas da fenda, foram expulsos pela indiferença e desprezo e preguiça. As águas da fenda continuam sendo apodrecidas e roubadas. Sua cor marrom oleosa, o mau cheiro e o abaixamento dos níveis demarcatórios nas margens da fenda avisam o cansaço e a desistência de continuar a resistir, Estou com medo, as barragens dos arrozeiros continuam me secando e a dejeção humana continua me envenenando. Ninguém escuta os gritos de alerta do rio.

Crônica Política

A um passo da escuridão

Sou uma daquelas pessoas que preferem uma conclusão terrível a uma dúvida sem fim. Trocando em miúdos: não consigo me enganar. E o auto-engano, às vezes, tem lá suas vantagens, sobretudo quando você não pode mudar uma situação que pede que engane a si mesmo.

Uma situação como a política no Brasil, por exemplo. Sabem, andei tendo uns pensamentos tenebrosos. Voltaram-me à mente algumas coisas que andei conversando com gente talvez mais preparada do que eu para entender a realidade do país hoje. E essa lembrança me foi aterradora.

Quanto significa termos colocado 3 ou 4 centenas de pessoas diante da Folha de São Paulo em 7 de março último, ou 4 ou 5 centenas na Praça dos Três Poderes na semana passada, se o Brasil está dependendo de que não se eleja presidente da República o candidato tucano-pefelê-midiático?

E o que é pior: lembrem-se de que, se José Serra se eleger presidente da República daqui a um ano e meio, é quase certo que ele e seu grupo político ainda por cima também governem São Paulo.

Acabou, pessoal. Esqueçam do Brasil. Eles venderão...

Quer ler mais? Vá até o Cidadania.com

sábado, 9 de maio de 2009

Gripe Suína e a traquinada dos homens

Coisas da Política - A gripe dos porcos e a mentira dos homens (Jornal do Brasil)

Mauro Santayana

O governo do México e a agroindústria procuram desmentir o óbvio: a gripe que assusta o mundo se iniciou em La Glória, distrito de Perote, a 10 quilômetros da criação de porcos das Granjas Carroll, subsidiária de poderosa multinacional do ramo, a Smithfield Foods. La Glória é uma das mais pobres povoações do país. O primeiro a contrair a enfermidade (o paciente zero, de acordo com a linguagem médica) foi o menino Edgar Hernández, de 4 anos, que conseguiu sobreviver depois de medicado. Provavelmente seu organismo tenha servido de plataforma para a combinação genética que tornaria o vírus mais poderoso. Uma gripe estranha já havia sido constatada em La Glória, em dezembro do ano passado e, em março, passou a disseminar-se rapidamente.

Os moradores de La Glória - alguns deles trabalhadores da Carroll - não têm dúvida: a fonte da enfermidade é o criatório de porcos, que produz quase 1 milhão de animais por ano. Segundo as informações, as fezes e a urina dos animais são depositadas em tanques de oxidação, a céu aberto, sobre cuja superfície densas nuvens de moscas se reproduzem. A indústria tornou infernal a vida dos moradores de La Glória, que, situados em nível inferior na encosta da serra, recebem as águas poluídas nos riachos e lençóis freáticos. A contaminação do subsolo pelos tanques já foi denunciada às autoridades, por uma agente municipal de saúde, Bertha Crisóstomo, ainda em fevereiro, quando começaram a surgir casos de gripe e diarreia na comunidade, mas de nada adiantou. Segundo o deputado Atanásio Duran, as Granjas Carroll haviam sido expulsas da Virgínia e da Carolina do Norte por danos ambientais. Dentro das normas do Nafta, puderam transferir-se, em 1994, para Perote, com o apoio do governo mexicano. Pelo tratado, a empresa norte-americana não está sujeita ao controle das autoridades do país. É o drama dos países dominados pelo neoliberalismo: sempre aceitam a podridão que mata.

O episódio conduz a algumas reflexões sobre o sistema agroindustrial moderno. Como a finalidade das empresas é o lucro, todas as suas operações, incluídas as de natureza política, se subordinam a essa razão. A concentração da indústria de alimentos, com a criação e o abate de animais em grande escala, mesmo quando acompanhada de todos os cuidados, é ameaça permanente aos trabalhadores e aos vizinhos. A criação em pequena escala - no nível da exploração familiar - tem, entre outras vantagens, a de limitar os possíveis casos de enfermidade, com a eliminação imediata do foco.

Os animais são alimentados com rações que levam 17% de farinha de peixe, conforme a Organic Consumers Association, dos Estados Unidos, embora os porcos não comam peixe na natureza. De acordo com outras fontes, os animais são vacinados, tratados preventivamente com antibióticos e antivirais, submetidos a hormônios e mutações genéticas, o que também explica sua resistência a alguns agentes infecciosos. Assim sendo, tornam-se hospedeiros que podem transmitir os vírus aos seres humanos, como ocorreu no México, segundo supõem as autoridades sanitárias.

As Granjas Carroll - como ocorre em outras latitudes e com empresas de todos os tipos - mantêm uma fundação social na região, em que aplicam parcela ínfima de seus lucros. É o imposto da hipocrisia. Assim, esses capitalistas engambelam a opinião pública e neutralizam a oposição da comunidade. A ação social deve ser do Estado, custeada com os recursos tributários justos. O que tem ocorrido é o contrário disso: os estados subsidiam grandes empresas, e estas atribuem migalhas à mal chamada "ação social". Quando acusadas de violar as leis, as empresas se justificam - como ocorre, no Brasil, com a Daslu - argumentando que custeiam os estudos de uma dezena de crianças, distribuem uma centena de cestas básicas e mantêm uma quadra de vôlei nas vizinhanças.

O governo mexicano pressionou, e a Organização Mundial de Saúde concordou em mudar o nome da gripe suína para Gripe-A. Ao retirar o adjetivo que identificava sua etiologia, ocultou a informação a que os povos têm direito. A doença foi diagnosticada em um menino de La Glória, ao lado das águas infectadas pelas Granjas Carroll, empresa norte-americana criadora de porcos, e no exame se encontrou a cepa da gripe suína. O resto, pelo que se sabe até agora, é o conluio entre o governo conservador do México e as Granjas Carroll - com a cumplicidade da OMS.

Sexta-feira, 01 de Maio de 2009

Homem usa nome da Carta Maior para espionar manifestação

PM gaúcha? Não acredito!

Utilizando um cracha falso da Carta Maior, homem apontado como sendo agente do serviço de inteligência da Brigada Militar (a PM gaúcha) acompanhou manifestação de servidores públicos contra governo Yeda Crusius (PSDB) tirando fotos dos manifestantes. Episódio configura falsidade ideológica e documental, dois crimes previstos no Código Penal. Não é de hoje que servidores de órgãos de segurança disfarçam-se de fotógrafos no Rio Grande do Sul, identificando-se como profissionais de imprensa para espionar manifestações de sindicatos e movimentos sociais.

Marco Aurélio Weissheimer

PORTO ALEGRE - Um homem, apontado por manifestantes como sendo agente da P2, o chamado serviço secreto da Brigada Militar (a PM gaúcha), usou indevidamente o nome da Carta Maior ao infiltrar-se, hoje (30), em uma manifestação de servidores públicos contra o governo Yeda Crusius (PSDB), em Porto Alegre e fazer fotos dos manifestantes.

O servidor foi surpreendido no ato por pessoas que conhecem a Carta Maior e que ficaram surpresas ao vê-lo portando um crachá (falso) da agência. A Carta Maior interpelará as autoridades responsáveis sobre o lamentável episódio que configura falsidade ideológica e documental, dois crimes previstos no Código Penal brasileiro.

Não é de hoje que servidores de órgãos de segurança disfarçam-se de fotógrafos no Rio Grande do Sul, identificando-se como profissionais de imprensa para espionar manifestações de sindicatos e movimentos sociais. Imaginem o estardalhaço que causaria um agente disfarçado da Abin ou da Polícia Federal “cobrindo” uma reunião do PSDB com um crachá falso da Folha de São Paulo...
O ato de hoje foi convocado pelo Fórum dos Servidores Públicos Estaduais do Rio Grande do Sul (FSPE/RS) e por um conjunto de outras entidades para denunciar o desmonte do Estado patrocinado pelo governo Yeda Crusius (PSDB).

Diversas categorias de servidores públicos concentraram-se em frente ao Gigantinho, onde estava acontecendo a assembléia geral do Centro de Professores do Estado do Rio Grande do Sul (CPERS/Sindicato). De lá, os manifestantes seguiram em caminhada até o Palácio Piratini, na praça da Matriz, para mais um protesto da campanha “Fora Yeda!”

Além do FSPE/RS, o ato público foi convocado pela Coordenação dos Movimentos Sociais (CMS), CUT, CTB, Conlutas, Intersindical, Movimento dos Trabalhadores Desempregados (MTD), Via Campesina, Marcha Mundial de Mulheres (MMM) e diversos grêmios estudantis e DCEs.

Leia mais em Carta Capital: www.cartacapital.com.br